04 janeiro 2007

Positivismo, de Noel Rosa

Positivismo
Noel Rosa e Orestes Barbosa (1933)

A verdade, meu amor, mora num poço
É Pilatos, já na bíblia, quem nos diz,
E também faleceu por ter pescoço
O autor da guilhotina de Paris.

Vai, orgulhosa querida,
Mas aceita esta lição:
No câmbio incerto da vida
A libra é sempre o coração.

O amor por princípio, a ordem por base,
O progresso é que deve vir por fim,
Desprezaste esta lei de Augusto Comte
E foste ser feliz longe de mim.

Vai, coração que não vibra,
Com teu jeito exorbitante,
Transformas mais outra libra
Em dívida flutuante.

Nenhum comentário: