18 abril 2015

Ateísmo como estado provisório do ser humano

O trecho abaixo, embora seja sumário e apenas comece uma explanação mais demorada, estabelece com clareza dois aspectos centrais do Positivismo e, portanto, da organização humana (social e individual):

(1) o Positivismo não é ateísmo;

(2) a permanência do ateísmo atrapalha, quando não impede, a reorganização mental e social em bases puramente humanas. 

Em outras palavras, a emancipação em relação à teologia é condição necessária, mas é não é nem suficiente nem pode ser o estado permanente do ser humano.

L'entière emancipation théologique devant constituer aujourd'hui une indispensable préparation à l'état pleinement positif, cette condition préalable entraîne souvent des observateurs superficiels à confondre sincèrement ce régime final avec une situation purement négative, qui présentait, même dans le siècle dernier, un caractère vraimente progressif, mais qui désormais dégénère, chez ceux où elle devient vicieusement permanente, en obstacle essentiel à toute véritable organisation sociale et même mentale.


(Auguste Comte, "Discours préliminaire – première partie: esprit fondamental du Positivisme", inSystème de politique positive, v. 1, 1851, p. 46. É possível contextualizar esse trecho no conjunto do livro consultando-os aqui.)

Nenhum comentário: