19 dezembro 2013

R. Teixeira Mendes: "Contra a vacinação obrigatória"

Por iniciativa do Templo Positivista de Porto Alegre, o opúsculo "Contra a vacinação obrigatória", de autoria de Raimundo Teixeira Mendes (n. 224 da coleção da Igreja Positivista do Brasil, de novembro de 1904) foi doado ao Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul. Esse opúsculo foi digitalizado e está à disposição dos interessados aqui.

É importante notar que a campanha da Igreja Positivista contra a vacinação obrigatória tinha três elementos: 

(1) combate à imposição governamental da vacinação, desconsiderando o convencimento individual e, portanto, a liberdade de pensamento; 

(2) o combate à violência praticada pelas tropas de Osvaldo Cruz, que batiam nas pessoas e invadiam as casas para vacinar; 

(3) uma desconfiança da eficácia das vacinas - afinal, nas primeiras décadas do século XX não se tinha certeza da eficácia desse tipo de tratamento e as condições em que eram ministradas as vacinas eram completamente anti-higiênicas. 

Esses três elementos resultaram em inúmeros confrontos entre as tropas vacinistas e a população, no que acabou denominando-se de "Revolta da Vacina".

Um comentário:

Unknown disse...

Excelente seu post , meu comentário para ti :

A história permanece irrefutável , pelas palavras de dominadores que as contam , este documento é essencial prova do que realmente aconteceu .